Dos blogs que fiz – Skol Beats

Blog do Skol Beats. Como eles mesmos definem:

Back to Back, o blog da redação Skol Beats.
Aqui você encontra músicas e festas, comportamento urbano e cultura digital, arte e tecnologia, dicas e bastidores.
Notas e comentários em versões originais e remixadas, fora de ordem e sem intervalos comerciais.
Posts diários. Fique por dentro.

skolbeatscombr.jpg

Fato interessante: tive que produzir esse blog em 2 dias no feriado prolongado (afinal eu num sou deus, mas descanso domingo), pois o prazo “era super apertado”, cheguei com o blog segunda feira no pen-drive, e o servidor não suportava php! dá-lhe 40 dias esperando os caras da locaweb instalarem tudo certinho.

Agência: Garage Interactive

Vida de publicitário

Três amigos se encontram, durante um almoço…

- O que você está fazendo na vida, Roberto (ex-executivo da Pirelli)?
- Bem… Eu montei uma recauchutadora de pneus. Não tem aquela estrutura e organização que havia quando eu trabalhava na Pirelli, mas vai indo muito bem…

- E você, José (ex-gerente de vendas da Shell)?
- Eu montei um posto de gasolina. Evidentemente também não tenho a estrutura e a organização do tempo que eu trabalhava na Shell, mas estou progredindo…

- E você Wilson (ex-publicitário de uma grande Agência)?
- Eu montei um puteiro.
- Um puteiro???
- É, um puteiro! É claro que não é aquela zona toda da agência, mas já ta dando algum lucro…

Lindo poema de mulher

Que mulher nunca teve um sutiã meio furado, um tio meio tarado ou amigo meio viado?

Que mulher nunca tomou um fora de querer sumir, um porre de cair ou um lexotan pra dormir?

Que mulher nunca pensou em zunir uma panela, jogar os filhos pela janela ou que a culpa era toda dela?

Que mulher nunca penou pra ter a perna depilada, pra aturar uma empregada ou pra trabalhar menstruada?

Que mulher nunca acordou com um desconhecido ao lado, com o cabelo desgrenhado ou com o travesseiro babado?

Que mulher nunca comeu uma caixa de Bis pela mais pura ansiedade, um alface por vaidade, ou um canalha por saudade?

Que mulher nunca apertou o pé no sapato pra caber, a barriga pra emagrecer ou um ursinho pra não enlouquecer?

Que mulher nunca jurou que não estava ao telefone, que não pensa em silicone ou que “dele” nao lembra nem o nome?

fonte: http://papocalcinha.com.br/necessaire/2007/10/03/poema-de-mulher/